As Polícias Civil e Militar cumpriram, na madrugada desta segunda-feira (01), oito mandados de apreensão, buscas e prisão contra os oito guardas municipais da cidade de Viana, na Baixada Maranhense.

Segundo informações da polícia, eles ostentavam em via pública armas de fogo, praticavam ameaças e abusos de autoridade contra os cidadãos vianenses. Durante a operação, além de prisões, foram apreendidas armas, munições e coletes balísticos.

O comandante interino da Guarda Municipal, Raimundo dos Santos Baia Pinheiro, foi baleado após disparar tiros contra os policiais. Ele foi levado ao Hospital Municipal, mas não resistiu e morreu logo em seguida. Ele já possuía passagem pela prática do crime de porte ilegal de arma de fogo e receptação de placas balísticas de colete.


Continua depois da publicidade:
Avenida Rio Branco - Pedreiras - MA 
Na residência de Raimundo Pinheiro foram apreendidos um revólver calibre 38, com quatro munições, sendo duas deflagradas, três capas de colete, uma placa de colete balístico e um par de algemas.

O sargento reformado e exonerado do comando da Guarda Municipal, José Raimundo Costa, conhecido como “Manelão”, foi preso. Com ele, foi encontrada uma pistola calibre 380, com três carregadores e 43 munições, uma munição calibre .38 intacta, três cartuchos calibre 12 e dois cartuchos calibre 20.

Na residência de João Batista Meireles, conhecido como “Curica”, foi encontrado um revólver, calibre 38, juntamente com 10 munições íntegras.

Rayones Queiroz de Sousa foi conduzido por estar em posse de uma placa de colete balístico, duas balaclavas, duas algemas, uma espingarda desmontada de calibre não identificada, um simulacro de pistola, cinco munições de calibre 38 e 02 cartuchos de espingarda de calibre não identificado.

Na residência de Francisco de Assis Mendonça Neto foram encontradas duas munições calibre 12 e duas placas para colete balístico com a numeração suprimida.

Na residência de Marcio Aurélio Mendonça foram encontradas 10 cápsulas deflagradas calibre .380, duas placas para colete balístico e um simulacro de arma de fogo.

Já Vantuir Costa Neves foi conduzido em virtude do cumprimento a mandado de prisão. Nenhum material ilícito foi encontrado em sua posse.

João Batista Aroucha Braga, conhecido como “Baro”, foi alvo de buscas, mas nenhum material ilícito foi encontrado em sua residência.

Os presos foram conduzidos, juntamente com todos os materiais apreendidos, para a Delegacia Regional de Viana. Eles responderão, inicialmente, pelos crimes de associação criminosa e posse ilegal de arma de fogo e munição.

O trabalho faz parte de um ciclo operacional que a Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI) realiza no interior do estado com a finalidade de repressão a grupos criminosos, ao tráfico de drogas e de armas, facções, homicídios, entre outros crimes.





Publicidade:
Rua da Independência - Pedreiras - MA