Diversos movimentos sociais participaram na manhã desta sexta-feira (22) de protestos contra a reforma da Previdência Social proposta pelo Governo Federal.

A Reforma da Previdência, que foi apresentada por Jair Bolsonaro e tramita no Congresso, determina idade mínima de 65 anos para homens, 62 anos para mulheres e aumenta o tempo de contribuição de 15 para 20 anos.

Continua depois da publicidade:
Casa dos Eletrônicos - Pedreiras - MA
Segundo os manifestantes, mulheres, agricultoras, professoras e idosos serão os maiores prejudicados. Além disso, a reforma dificulta o acesso a uma série de benefícios e estabelece que idosos carentes irão receber somente R$ 400 entre os 60 e os 70 anos, quando passam a ganhar um salário mínimo.

Ainda de acordo com os representantes dos movimentos sociais A reforma também pretende implantar o modelo de capitalização que beneficia banqueiros e especuladores.

Em Pedreiras a paralisação teve início por volta das 8h, na avenida Rio Branco, precisamente no cruzamento do Banco do Brasil. Onde reuniu representantes do SIMPROESEMMA, Sindicatos dos trabalhadores e trabalhadoras rurais de Pedreiras, SINDSERP, SINDSERTV e vários outros representantes da sociedade civil organizada. Saindo do cruzamento do Banco do Brasil os manifestantes saíram em passeata  fazendo distribuição de panfletos, com carro de som, faixas e cartazes com destino ao "Cuscuz" em Trizidela do Vale - MA.

Mais detalhes sobre a paralisação na reportagem abaixo produzida pela TV Rio Flores, canal 07:









MM Gesso 3D - Pedreiras - MA