O Poder Judiciário da Comarca de Lago da Pedra, por meio da 2ª Vara, realizou nesta semana duas sessões do Tribunal do Júri, nos dias 22 e 23, quarta e quinta-feira, respectivamente. Entre os julgamentos, destaque para o caso de um homem que matou uma mulher a pedradas.

O réu em questão foi Daniel Lustroso da Silva, condenado por matar a vítima Emília da Silva Novaes. Ele recebeu a pena de 18 anos de prisão, a ser cumprida, inicialmente, em regime fechado. No outro caso, João Douglas Lopes de Sousa teve o crime de homicídio desqualificado para lesão corporal seguida de morte, passando à juíza a competência para julgar. Ele recebeu 5 anos de reclusão, a ser cumprida inicialmente em regime semiaberto.

Sobre o júri da quarta-feira, Daniel Lustroso estava sendo acusado de ter executado a vítima Emília da Silva Novaes a golpes de pedra, em 13 de outubro de 2019. Ressalta a denúncia que o fato ocorreu em uma estrada vicinal que dá acesso ao Povoado Estrela, localidade de Lagoa Grande, termo judiciário de Lago da Pedra. Conforme apurado pela polícia, Daniel estava ingerindo bebida alcoólica no Bar do Nem, quando teria avistado Emília saindo de casa e seguindo rumo à estrada vicinal. Em seguida, o denunciado teria pedido uma motocicleta emprestada e seguiu Emília. Quando a alcançou, ele ofereceu carona para ela. Emília aceitou e seguiu com Daniel.

No caminho, ele desviou o trajeto, adentrando em outra via, momento em que teria executado a mulher a pedradas. Foi apurado, ainda, que Daniel retornou para o mesmo local e continuou a beber com os amigos, inclusive com o esposo da vítima que estava no bar. Alguns dias depois, quando o corpo de Emília foi encontrado, Daniel fugiu da cidade, junto com a esposa. Ao retornar para prestar depoimento, ele teria confessado o crime à polícia. Ele teria dito que a mulher queria ter um caso com ele e ameaçou destruir a vida dele.

Publicidade: