A Delegacia de Polícia Civil da cidade de Dom Pedro com apoio do Instituto de Genética Forense (IGF) informou na tarde desta segunda-feira (28) que deu como elucidado um caso de violência sexual ocorrido no município.

O crime ocorreu na noite do dia 30 de março deste ano contra uma mulher que saía do seu trabalho. Ela foi levada para uma estrada vicinal, onde foi estuprada e teve seus objetos roubados.

A Delegacia de Dom Pedro iniciou as investigações e encaminhou as vestes da vítima para o Instituto de Genética Forense (IGF), para coleta de material genético do autor do fato. Em seguida, a autoridade policial tomou conhecimento da prisão no estado do Piauí de um “estuprador em série”, cujo método de realizar o crime era similar àquele do caso investigado na cidade de Dom Pedro.

As investigações também apuraram o rastreamento do aparelho telefônico do investigado que apontaram que o mesmo esteve nas proximidades do município de Dom Pedro na data do fato, e também se pôde identificar o suspeito, que foi reconhecido por meio fotográfico e teve o seu perfil genético encontrado nas vestes da vítima que foram encaminhadas ao IGF.

O suspeito foi preso em flagrante de delito no estado do Piauí, aproximadamente cinco dias após o cometimento do crime no município de Dom Pedro, por delito similar, sendo suspeito de cometer vários outros estupros nos estados de Teresina, Tocantins e Pará. No último dia 16, o investigado foi condenado a vinte anos de reclusão pela Comarca de Dom Pedro.

Hoje o Maranhão conta com aproximadamente 5.500 criminosos com seu perfil genético inserido no Banco Estadual, sendo que 22% por sentenciados por crimes sexuais.

Publicidade: