No segundo dia do Treinamento para o Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro, promovido pelo Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) do Ministério da Justiça, em parceria com a Escola Superior da Magistratura (ESMAM), o secretário nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), Luiz Roberto Beggiora, apresentou as ações integradas para gestão do patrimônio apreendido do crime organizado e a aplicação dos recursos em políticas públicas no combate ao tráfico de drogas pela União e estados.

O evento, que prossegue até quarta-feira (11), das 9h às 12h, reúne servidores públicos do Judiciário, Ministério Público (estadual e federal), Governo do Estado, Procuradoria Geral, integrantes da Polícia Civil e Federal e Defensoria Pública do Maranhão; além de representantes das entidades participantes do ENCCLA (Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro.


Continua depois da publicidade:
De acordo com os dados apresentados, a venda de ativos totalizou, desde o final de 2019, cerca de R$ 7 milhões. Com as alienações antecipadas o montante foi de R$ 92 milhões no ano passado, contra uma média de R$ 37 milhões nos anos anteriores. A previsão é atingir R$ 200 milhões com a venda de bens em 2020 no âmbito federal.

“Já nos estados, será necessário esforço conjunto para alimentar o Projeto Check in, que dá visibilidade sobre o que existe nos pátios, e com essa informação vamos conseguir fazer a gestão junto com o poder judiciário e também aos leiloeiros, para fazer a venda desses bens o mais rápido possível”, pontuou o secretário.


Publicidade: