Policiais civis da 14ª delegacia regional de polícia civil de Pedreiras deram  cumprimento na data de ontem (15), por volta das 13h, ao mandado de prisão preventiva exarado em desfavor de Roberto de Souza Oliveira.
Foto: Blog Tribuna 101


Roberto é o principal suspeito de ter assassinado Antônia Menezes Dantas, fato ocorrido no dia 22 Julho de 2018, nas imediações do Povoado Centro do Coroatá, zona rural do município de Esperantinópolis-MA.

O crime gerou grande comoção social em toda a região médio Mearim. Segundo o delegado regional Diego Maciel, desde a consumação do crime a Polícia Civil trabalhou na colheita de elementos informativos para subsidiar o inquérito policial e, na última segunda-feira dia 14 de janeiro, ofereceu representação pela prisão preventiva de Roberto Oliveira. O suspeito estava sendo monitorado pela equipe da Polícia Civil.


O ele foi interrogado e confessou a prática criminosa com riqueza de detalhes.
Vale ressaltar que até o presente momento a Polícia Civil não possui qualquer elemento que indique que se trata de crime de feminicídio, uma vez que o fato criminoso não foi motivado por qualquer razão da condição de sexo feminino da vítima, ou seja, não foi praticado no contexto de violência doméstica e familiar, nem por conta de menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

A situação versa sobre femicídio, ou seja, homicídio praticado contra mulher.
Impende registrar que o suspeito não deverá ficar impune, haja vista que poderá ser indiciado por homicídio qualificado pelo motivo torpe, motivo fútil e mediante asfixia, nos moldes do art. 121, § 2º, incisos I, II e III, do Código Penal Brasileiro.

Coordenou a operação policial o Delegado Regional, Dr. Diego Maciel Ferreira, e auxiliaram os Delegados de Polícia Civil, Dr. Périkles da Fonseca Lima e Dr. Jânio José Aragão Pacheco, além da participação do investigador de polícia civil Marcel Braga Borges.
A investigação criminal é um instrumento de defesa da cidadania e uma vez possuidora de dupla função (prevenir e reprimir práticas delitivas), deve estar alicerçada em técnicas e métodos específicos, os quais, uma vez consubstanciados em princípios e regras constitucionais, sejam capazes, cientificamente e com base nos mais elevados valores éticos e morais, de produzir justiça e paz social.

Portanto, mais um crime grave da região do mearim é devidamente elucidado pela Polícia Civil do Estado do Maranhão.
Mais detalhes na reportagem baixo produzida pela TV Rio Flores, canal 07: