No momento da abordagem, os ocupantes do veículo disseram que estavam vindo de Poção de Pedras e que iriam visitar um parente que estava doente na cidade de Caxias - MA.

A equipe suspeitou da conversa dos ocupantes do veículo e aprofundou a fiscalização.

Aproximadamente 400 kg de queijo coalho, sem selo de inspeção, sem rótulo, sem acondicionamento térmico e embalados em sacos plásticos e sacos de estopas. Essa era a condição da carga de queijo apreendida pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-316, durante abordagem de rotina.

A PRF entrou em contato com a Unidade Regional (UR) da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) em Caxias, que se organizou para fazer a inutilização do queijo clandestino. A Polícia reteve a carga e também o motorista para prestar maiores esclarecimentos. Segundo foi apurado pela PRF, o queijo iria abastecer o mercado de Caxias e Timon.

A gestora da UR de Caxias Nádia Oliveira Medeiros explica que foi acompanhada dos técnicos e servidores do Escritório da AGED de Caxias para o posto da PRF para lavrar o auto de infração e o Termo de Inutilização e Destruição da Carga. “Encontramos um produto sem rótulo indicando o serviço de inspeção oficial e em condições inadequadas de transporte e acondicionamento, podendo causar sérios danos à saúde do consumidor. Um produto inspecionado visa garantir a boa qualidade e a segurança alimentar da população”, informou Nádia.

Para a ação de inutilização de cerca de 400 quilos de queijo, a AGED contou com o apoio da Secretaria de Infraestrutura do Município de Caxias que prontamente se disponibilizou, oferecendo maquinário e o local para fazer a destruição da carga de queijo.



Publicidade: